terça-feira, 29 de março de 2011

Brigando com a balança...


... para não brigar com a mamãe

50kg é o que minha mãe gostaria que eu pesasse. 55kg é o que ela traçou como meta para eu pesar. 61kg era meu peso no dia.

Sempre tive complexo de ser magra. Quando era criança me olhava no espelho e via MAGRA. Então eu comia. Enchia o prato no almoço, comia sempre o pacote todo de biscoito e jantava miojo. Tudo para não ser magra. Mas para minha mãe eu sempre fui gorda. Nunca me deixou repetir o prato nem comer biscoito recheado ou balas ou refrigerante. A primeira vez que ela me deu um ovo de páscoa foi quando fiquei diabética e ganhei um ovo diet.

Fui crescendo, comendo e engordando. Com 14 anos pesava 51kg. Ainda assim me achava magra, mas para minha mãe eu estava obesa. Com 15 anos fiquei diabética e comecei a aplicar insulina o que me fez engordar 7 kg em um ano. Minha mãe enlouqueceu e chegou a pedir que eu parasse de tomar insulina para emagrecer. Eu a ignorei totalmente, lógico. Com 16 anos eu cheguei ao meu máximo de gorda: 61kg. Comecei a me achar gorda. Muito gorda. Comecei a evitar de sair nas fotos. Minha mãe me acordava de madrugada dizendo para eu olhar como minha barriga estava grande. Até meu pai comentou sobre minhas gordurinhas.

Voltei a praticar atividades físicas e consultei com a nutricionista, para perder esses quilinhos adquiridos. A nutricionista me perguntou o quanto eu gostaria de pesar e eu disse 58kg. Minha mãe quase me bateu e disse “50kg! No máximo 52kg!!”. Para chegar a um consenso, ela estipulou que eu chegaria a 55kg, para que as duas ficassem felizes. “Vou sumir!”, pensei. Mas para não discutir com minha mãe, aceitei a meta.

Hoje estou pesando 58kg, o que para mim é ótimo. Porém sou acordada com um “você está enoooormee!” todos os dias. Recebo ligações de 2 em 2 horas perguntando que horas vou fazer esteira e sou convidada a fazer ginástica diariamente. Ao mesmo tempo escuto “não emagreça, pelamordedeus” de todas as outras pessoas que conheço.

Acontece que cansei. Cansei mesmo. Não agüento mais ser chamada de gorda. A única pessoa que eu gostaria que me achasse bonita é a minha mãe. O resto pode me achar feia à vontade. Se para ela me achar bonita tenho que ficar feia, paciência. Emagrecerei. Virarei um palito. Ficarei horrorosa. Pelo menos poderei dizer: “minha mãe me acha linda!”.

6 comentários:

  1. Aaah amiga, você é linda e sua mãe que tem o fenótipo magrinha acha que vce tambem tinha que ser. Lá em casa é o contrário, minha mãe acha que eu to magra e eu acho que eu tô gorda (ou melhor, tenho certeza abssoluta :b). Mas é que aqui também foi o contrário, eu sempre fui gordinha, meu maximo de gordisse foi 1kg a mais que o seu, 62kg. Daí eu emagreci e emagreci até meu máximo de magrísse (haha) de 52kg que não me pertencem mais depois que eu entrei pra UFMG e parei de jogar hand. Mas vou recuperá-los e ainda por cima vou sumir com mais alguns :b

    ResponderExcluir
  2. Vc tá magra. FATO! Mas vou emagrecer só mesmo pra minha mae largar do meu pé pq me sinto bem com 58kg! =]

    ResponderExcluir
  3. Tem tanta gente rolando por ai, a gente tá bem demais :b

    ResponderExcluir
  4. Rafa.. se me permite a intrometer.. vc tá otimaa!! mesmo... =D

    ResponderExcluir
  5. Brigada! =] Minha mãe que eh neurada mesmo!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...